A história do Mother’s Day

A história do Mother’s Day

American Insight No Comment
Posts

Os comerciais já começaram e você está sendo bombardeado de ofertas para a sua mãe, mas você sabe como o Mother’s Day começou? A American Insight explica sobre o simbolismo, a criação e os rumos tomados pelo famoso Dia das Mães.

A celebração em honra à mãe da família (assim como todos os laços maternos) é o espírito do Dia das Mães. Mas podemos dividir esse momento em duas partes: a primeira, na antiguidade, em cultos feitos pelos gregos ou romanos, e o modelo atual, originado em 1908.

O Mother’s Day moderno foi criado por Anna Jarvis com o objetivo de celebrar o trabalho realizado por sua mãe, Ann Reeves Jarvis, uma ativista que atuou dos dois lados durante a Guerra Civil Americana. A campanha para fazer com que o Mother’s Day fosse considerado feriado nos Estados Unidos começou em 1905, mas sem apoio do governo, que chegou a ironizar a proposta ao rejeitá-la em 1908. Ainda assim, o ano ficaria conhecido como o marco fundamental para a criação da data ao realizar uma celebração na St Andrew’s Methodist Church em Grafton (West Virginia). Apenas no ano de 1914 o segundo domingo de maio seria reconhecido como feriado nacional em homenagem a todas as mães.

Ao longo dos anos o objetivo inicial acabou se perdendo e a data tornou-se uma das mais importantes comercialmente em diferentes países. O Mother’s Day foi usado rapidamente por marcas especializadas em cartões e como incentivo à compra de presentes para as mães. Atualmente a data é um dia especial para estabelecimentos gastronômicos e de presentes (como roupas, chocolates e flores) pelo aumento no faturamento originado pela corrida pelas lembranças.

Assim como nos Estados Unidos, o Brasil celebra a data sempre no segundo domingo de maio, mas outros países optaram por diferentes como a Argentina (terceiro domingo de outubro), México (10 de maio), Portugal e Espanha (primeiro domingo de maio).

Então não se esqueça que nesse domingo é dia de agradecer às oportunidades que teve e reconhecer todo o sacrifício que as figuras maternas na sua vida fizeram.

Deixe um Comentário